10 de agosto é o Dia do Basta!

Dia 10 de agosto é o “Dia do Basta”. Organizado pela CUT e demais centrais sindicais, neste dia, os trabalhores e trabalhadoras realizarão paralisações, atrasos de turnos e atos nos locais de trabalho e nas praças públicas de grande circulação de todo o País para exigir um basta de desemprego, de aumento do preço do gás de cozinha e dos combustíveis, de retirada de direitos da classe trabalhadora e de privatizações.

Os protestos deste dia 10 de agosto estarão focadas também na defesa da proposta da CUT para a saída da crise em que o país se encontra.

CONVERSÃO DE LICENÇA-PRÊMIO EM PECÚNIA

1. O que é licença-prêmio?

A licença-prêmio é um direito assegurado ao servidor público, instituído em nosso ordenamento jurídico pela Lei 1.711/52, Estatuto dos Servidores Públicos Civis da União e mantido pela Lei 8.112/90, Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União das Autarquias e das Fundações Públicas Federais.

Originalmente denominava-se licença especial e a partir da alteração trazida pela Lei 8.112/90, em seu artigo 245, passou a chamar-se licença-prêmio sem, todavia, alterar a sua natureza jurídica.

Em ambas as legislações, representava um prêmio ao servidor público assíduo e disciplinado, garantindo a ele o direito de se afastar do serviço público por um período, sem redução de seus vencimentos.

2. Quem tem direito à licença especial ou licença-prêmio e qual o período de afastamento?

O direito à licença especial ou licença-prêmio foi concedido ao servidor que durante o período aquisitivo não sofresse pena de suspensão ou incorresse em falta injustificada.

Perdia o direito à referida licença o servidor que se ausentasse do serviço por motivo de licença para: tratamento de sua própria saúde, pelo período de 6 (seis) meses ou 180 (cento e oitenta) dias, ininterruptos ou não; acompanhar doença em pessoa da família, por mais de 4 (quatro) meses ou 120 (cento e vinte) dias, consecutivos ou não; tratar de interesses particulares; e, finalmente, acompanhar cônjuge, funcionário público ou militar, por período superior a 3 (três) meses.

O período de afastamento, sob a égide da Lei 1.711/52, era de 6 (seis) meses para cada 10 (dez) anos de efetivo exercício, e de 3 (três) meses para cada período de 05 (cinco) anos de efetivo exercício, sob a égide da Lei 8.112/90.

3. E se não houver usufruto do período de licença?

O servidor com direito à licença-prêmio pode requerer o gozo, com o afastamento remunerado, ou a contagem em dobro do período não usufruído para fins de aposentadoria, na forma da Lei 1.711/52.

A Lei 8.112/90 trouxe uma alteração de grande relevância: a possibilidade de conversão em pecúnia do período de licença-prêmio não gozada, em razão de falecimento do servidor, cujo pagamento seria feito aos sucessores.

Todavia, a Lei 9.527/97, que alterou dispositivos da Lei 8.112/90, transformou a licença-prêmio em “novo” instituto, emprestando-lhe natureza jurídica distinta: licença capacitação.

Referida alteração legislativa resguardou aos servidores, cujos períodos de licença tivessem sido adquiridos até 15 de setembro de 1996, o direito de: usufruir da licença-prêmio; contar em dobro o tempo de licença para fins de aposentadoria; ou, tê-los convertidos em pecúnia, para pagamento aos sucessores, em caso de morte do servidor.

4. O que os nossos tribunais têm entendido quanto aos servidores que se aposentam sem que tenham usufruído seus períodos de licença-prêmio ou não os incluíram na contagem do tempo para fins de aposentadoria?

Muitos servidores, talvez por falta de informação ou por exigência do próprio trabalho, têm se aposentado sem usufruir seus períodos de licença e a Administração Pública, de forma recorrente, tem recusado a conversão em pecúnia desses períodos, não restando alternativa a não ser a busca de solução junto ao Poder Judiciário.

Felizmente, o entendimento sobre o tema mudou nos últimos anos, chegando inclusive a ser objeto de apreciação no âmbito do Superior Tribunal de Justiça, que decidiu não haver necessidade de anterior requerimento administrativo para o ajuizamento de ação judicial requerendo a conversão da licença em pecúnia.

Como se observa do disposto na lei e do entendimento jurisprudencial, ao servidor público em atividade é facultado o afastamento ou a contagem em dobro dos períodos de licença para fins de aposentadoria. Porém, ao servidor já aposentado somente resta a conversão em pecúnia dos períodos de licença-prêmio não gozados, sob pena de enriquecimento indevido para a Administração Pública.

5. Como é feito o cálculo do valor da indenização?

O valor da indenização da licença-prêmio não usufruída está regulado pelo art. 87 da Lei 8.112/1990, o qual estipula que para cada quinquênio ininterrupto de exercício o servidor fará jus a 3 (três) meses de licença, a título de prêmio por assiduidade, com a remuneração do cargo efetivo.

A definição de remuneração está contida na própria Lei 8.112/90, em seu artigo 41: “é o vencimento do cargo efetivo, acrescido das vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei”.

Assim, o valor a ser indenizado é o correspondente à multiplicação do valor da última remuneração recebida na ativa, composta pelo vencimento do cargo efetivo e das vantagens pecuniárias de caráter permanentes, pelo número de meses de licença não usufruídos. Ao valor total deve ser acrescido correção monetária desde a data da aposentadoria e juros de mora de 1% ao mês, a partir da citação.

6. Incide Imposto sobre Renda nas indenizações decorrentes de licença-prêmio não usufruída?

É certo que a conversão da licença-prêmio em pecúnia redunda em verba de caráter indenizatório, não representando salário ou contraprestação de trabalho e, por isso, não incide Imposto sobre Renda, conforme entendimento pacificado pelo Superior Tribunal de Justiça que sumulou a questão por meio do Enunciado nº 136 de sua Súmula: O pagamento de licença-prêmio não gozada por necessidade do serviço não está sujeito ao imposto de renda.

7. É possível ao servidor que já implementou todos os requisitos para sua aposentadoria, e que possui períodos de licença-prêmio não usufruídos, requerer, ainda na ativa, sua conversão em pecúnia?

Embora possa parecer possível antecipar a conversão dos períodos de licença-prêmio não usufruídos em pecúnia, uma vez que o servidor já possui todos os requisitos para sua aposentadoria, o entendimento jurisprudencial é de que somente é possível tal conversão após a aposentadoria do servidor.

8. Qual o prazo para requerer a conversão da licença-prêmio em pecúnia?

É certo que a ação de conversão da licença-prêmio em pecúnia é de natureza indenizatória manejada em face da Fazenda Pública.

Analisando o tema, pela via dos recursos repetitivos, o STJ, em 2012, dirimiu a controvérsia existente entre o prazo trienal (três anos) e o prazo quinquenal (cinco anos). Nesta assentada, prevaleceu o entendimento de que o prazo para o ajuizamento de ações requerendo indenização contra a Fazenda Pública prescreve em 5 (cinco) anos, ou seja, o prazo é quinquenal.

No caso específico da conversão da licença-prêmio em pecúnia, a data inicial para a contagem do prazo prescricional de cinco anos, conforme decidido pelo Superior Tribunal de Justiça, no REsp 1254456/PE, também pela via dos repetitivos, é a data do deferimento da aposentadoria do servidor.

9. Conclusão:

O servidor que se aposentou com períodos de licença-prêmio não usufruídos e não contados em dobro, para fins de tempo para aposentadoria, tem o prazo de cinco anos para requerer a conversão desses períodos em pecúnia.

Observe-se, ainda, que para o ingresso com ação judicial não se faz necessário o pedido administrativamente.

Finalmente, o valor da indenização deve corresponder ao valor da última remuneração do cargo efetivo percebido na ativa, acrescido de correção monetária, desde a data da aposentadoria e juros de mora contados da citação.

CONVOCAÇÃO: ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Guamaré, entidade sindical de primeiro grau, vem através de sua DIRETORIA EXECUTIVA, devidamente representado por seu Presidente o Sr. José Edson Souza da Rocha, CONVOCAR pelo presente edital todos os servidores públicos municipais da Guamaré para a ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, que será realizada na sede da ENTIDADE no dia 30 de MAIO de 2018 com primeira chamada sendo realizada às 9h30min e segunda chamada prevista para 9h45min, para apreciarem e deliberarem a seguinte ordem do dia:

* Renúncia e substituição do Diretor Financeiro do SINDSERG.

Artigo 16, parágrafo 1º do Estatuto Social do SINDSERG.

“As Assembleias Gerais Extraordinárias serão realizadas quantas forem necessárias para deliberar sobre quaisquer assuntos de interesse dos associados.

1º A Assembléia Geral poderá revogar ou anular quaisquer atos praticados pelas demais instâncias deliberativas da entidade.”

Guamaré/RN, 25 de maio de 2018

Jose Edson Souza da Rocha

PARABÉNS ENFERMEIROS E ENFERMEIRAS

Neste dia 12 de maio, em que se comemora o Dia Mundial da Enfermagem, o SINDSERG vem parabenizar a todos estes valorosos profissionais, em especial aos enfermeiros do município de Guamaré. O trabalho dos enfermeiros e essencial para o funcionamento de uma saúde de qualidade. Estaremos sempre juntos na luta pela valorização desta categoria de trabalhadores. Parabéns enfermeiros e enfermeiras pelo seu dia.

1º de Maio – Dia do Trabalhador

Mais um Dia do Trabalhador é assinalado no calendário da nossa vida. É pelo esforço de cada pessoa que as obras são erguidas, as construções são feitas, os alimentos são produzidos, a educação é repassada, o sustento é realizado.

O trabalho engrandece. Traz dignidade. Desperta a cidadania. Mobiliza, une. Faz com que sejamos reconhecidos pelas nossas habilidades, pela nossa dedicação e pelo nosso conhecimento.

Que neste Dia do Trabalhador façamos uma pausa ao trabalho e possamos juntos fazer uma reflexão sobre nossas conquistas atuais e aquelas que ainda virão, fruto da incessante luta dos trabalhadores pelos seus plenos direitos. Pessoas que não medem esforços, participam ativamente da construção de uma sociedade mais justa, mais fraterna e com melhores condições salariais.

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Guamaré, transmite os mais sinceros cumprimentos a todos que fazem do trabalho, o ponto de partida para tudo de bom que a vida pode oferecer.

Feliz dia do Trabalho para todos!

COMUNICADO

O SINDSERG vem através de sua diretoria, comunicar a todos os associados e público em geral que no dia 01.02.2018, o veículo da Marca Volkswagem, tipo Voyage, de placas QGG 8521, cor branca, de propriedade do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Guamaré, foi furtado na cidade de Natal, conforme boletim de ocorrência em anexo.

Comunicamos também, que o referido veículo possuía cobertura de seguro contra furto, e que até o momento não foi recuperado. Em reunião extraordinária a diretoria do SINDSERG se reuniu e pautou todas as ações relacionadas ao fato ocorrido, tomando todas as medidas necessárias.

BO_VOYAGE_SINDSERG

SINDSERG COMPLETA 11 ANOS

O dia 03 de abril é uma data de grande importância para a categoria dos Servidores Públicos Municipais de Guamaré, pois, neste dia, há 11 anos foi fundado o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Guamaré (SINDSERG).

Neste período de 11 anos de existência, numa caminhada de luta defendendo a categoria dos servidores municipais, mantemos a missão sindical pela defesa dos interesses, direitos e garantias. O SINDSERG sempre buscou a salvaguarda da categoria dos servidores, com legitimidade e legalidade visando sempre o melhor para os seus associados.

Agradecemos a todos os associados e parceiros, que se enganjam diariamente na luta por dias melhores em prol dos servidores públicos do município. Nosso muito obrigado também a todos os que fazem parte da diretoria como também a todos aqueles que de alguma forma contribuem para o fortalecimento do SINDICATO.

Mesmo com todas as dificuldades, o SINDSERG nunca deixou se abater e vai continuar sua busca insistente pela valorização dos servidores municipais perante a sociedade, em defesa do servidor público de Guamaré, seja na seara administrativa, judicial, política ou trabalhista.

Vida longa ao SINDSERG!